Oráculo


P
ergunta

-----Mensagem original----- 
De: Humberto Chagas [mailto:humberto.chagas@bol.com.br] 
Enviada em: domingo, 8 de dezembro de 2002 14:19 
Para: sigma@ sigmasociety.com 
Cc: sigmaegroup@yahoo.com.br 
Assunto: QI x Rating FIDE 
 

Boa tarde caro amigo Hindemburg Melão Jr. ! 

Estou escrevendo para tirar uma antiga dúvida minha mas que só agora consigo escrever-lhe. 
Eu vi em uma parte do site do Sigma falando que existiria uma relação entre o tamanho do QI de uma pessoa e o rating FIDE. Havia até umas fórmula que calcularia de acordo com o QI, qual o rating FIDE que a pessoa teria. Bom, mas logo eu pensei: O QI não pode ser aumentado, pois é algo que nasce com a pessoa. Mas o rating FIDE pode ser aumentado. Minha pergunta é: Então, isto significa que uma pessoa pode durante a vida aumentar seu QI estudando e se aperfeiçoando ? Ou se a pessoa não pode aumentar seu QI, quer dizer que a pessoa nunca passará de um certo limite de pontuação FIDE ? 
Eu parei de jogar xadrez profissionalmente em 2000 por entre vários fatores, isto também, pois eu pensei: Que graça tem então jogar xadrez se a pessoa precisa ter um QI alto para ser bom jogador ? Que adianta você treinar a vida inteira se não tiver um QI alto, então nunca serás campeão mundial ? Isto me desanimou um pouco, mas não foi o único motivo. Mas agora ando com vontade de voltar a jogar, e queria tirar esta dúvida, para ver se tive uma impressão errada ou é isto mesmo. Ficarei muito grato se puder responder-me mesmo que de forma simples e direta, apenas dizendo se meu pensamento foi errado ou certo. Muito obrigado mesmo, isto irá me ajudar e muito ... Desculpe amolá-lo mais uma vez com minhas dúvidas pessoais ..... Fique com Deus ... 

Obs.: Eu mandei este email para estes dois endereços pois não sabia em qual você prefere atender. 

Humberto Chagas 


R
esposta


Caro amigo Humberto,  
  
É bom ter notícias suas! Espero que esteja bem!  
  
O coeficiente de correlação entre QI e ELO é razoavelmente alto. De acordo com informação de nosso amigo Eduardo Corrêa, alguns experimentos apontam algo na faixa de 0,4 a 0,7. 
  
Em primeiro lugar, é importante saber como interpretar o coeficiente de correlação. O peso e a altura, por exemplo, estão correlacionados; os logaritmos do peso e da altura se correlacionam melhor, porque enquanto a altura cresce linearmente, o peso cresce com a terceira potência. Isso significa que, em média, as pessoas mais altas são também mais pesadas, mas é claro que existem algumas pessoas baixas mais pesadas do que outras altas. O fato de o coeficiente de correlação entre peso e altura ser positivo indica que se você pegar dois grupos grandes de pessoas, o grupo com maior altura média provavelmente também terá maior peso médio. À medida que os grupos forem maiores, também serão maiores as chances desse prognóstico ser correto. Inversamente, se os grupos forem pequenos, as chances de “erro” aumentam, até o ponto que ao considerar indivíduos, as chances de erro se tornam tão grandes que praticamente não dá para perceber que o coeficiente de correlação existe (exceto intuitivamente). O mesmo se aplica no caso de ELO e QI, exceto pela diferença quantitativa que o coeficiente de correlação entre ELO e QI é melhor do que entre peso e altura.  

Nenhuma característica de seres materiais macroscópicos permanece inalterada ao longo do tempo. A altura das pessoas varia do dia para a noite, mas não numa proporção tão grande quanto o peso. O ELO varia e o QI também variam, e isso depende de aptidão, treinamento, conhecimento, disposição, cansaço, sono e outros fatores. 

A altura das pessoas tem um certo limite para o intervalo em que pode variar (creio que alguns milímetros entre a hora que a pessoa se levanta e a hora que vai se deitar), e esse intervalo pode ser alterado com tratamentos hormonais ou até mesmo cirúrgicos. O mesmo acontece ao peso, com a diferença que o intervalo de variação do peso é muito maior porque está relacionado a estruturas mais flexíveis. Uma pessoa geneticamente propensa ao nanismo não poderá, com a tecnologia atual, chegar a 2 m de altura, mas certamente ela pode ganhar alguns centímetros. No caso do QI e do rating, também existem esses intervalos inatos, e cada pessoa pode trabalhar para chegar aos seus limites.  
  
Boa sorte!  
Piu

 

 
.:: Sigma Society ::.
  Topo
Todos os direitos reservados