Oráculo


Pergunta

--------Mensagem original-----
De: Muniz Jose Maria [mailto:jose.muniz@scania.com]
Enviada em: quarta-feira, 20 de junho de 2001 18:35
Para: 'sigma.2000@sti.com.br'
Assunto: Alo pessoal da Sigma Society!

Gostei muito da "home page" .
Principalmente do Oráculo... Um espaço de discussão deste nível deveria ser patrocinado...
Não passo de um leigo, porém já pensei muito sobre o universo usando o pouco que li.
No paradoxo dos gêmeos, concordo com o raciocínio sobre o referencial absoluto... Gosto de fazer analogia da propagação da luz com as ondas causadas por uma pedra jogada numa lagoa de águas calmas.

Desejo fazer uma pergunta sobre Xadrez:
Para tomar um peão em "En passant" eu posso usar outra peça que não um outro peão?... Um bispo por exemplo?

Até a próxima!!!
[[[ ]]]


R
esposta


Olá!

Tudo bem?

Comer de tudo que é jeito não pode! Isso é coisa de tarado! ;-) Só pode comer com Peão. O 'en-passant' foi introduzido no final do século XV, com a finalidade de reduzir a quantidade de partidas empatadas por bloqueio. Aplica-se exclusivamente a Peões na quinta fila, que podem capturar Peões adversários da segunda fila quando estes avançam duas casas, e a captura só pode ser feita no lance imediatamente posterior ao duplo avanço.
As regras do Xadrez nem sempre foram como são hoje. A Dama e o Bispo tinham nomes e movimentos diferentes. O roque era executado em dois movimentos: o Rei saltava duas casas em direção à Torre, então era a vez do adversário jogar, e no lance seguinte a Torre saltava sobre o Rei, caindo na casa adjacente e concluindo o roque. Nos países cristãos discutiam-se questões éticas relacionadas à promoção do Peão: poderia o Rei ter mais de uma Rainha?
Foi com a publicação do tratado de Ruy López, em 1561, que o Xadrez assumiu basicamente as mesmas regras que adotamos atualmente. A essa altura, já vigorava a regra do empate em 50 lances sem captura ou sem movimento de Peão, o roque em um único movimento e o en-passant. Contudo, algumas regras continuam mudando e novas regras (anexos) estão sempre sendo incorporadas. Recentemente (cerca de 1988) foi cogitada a possibilidade de aumentar de 50 para 75 lances a regra supracitada, porque em alguns finais são necessários mais de 50 lances para forçar o mate. Aliás, em alguns casos é preciso mais de 250 lances (Rei, Torre e Cavalo contra Rei e dois Cavalos). No site da Chess Base foi colocada uma nota na página de entrada informando que o roque seria abolido. Nossa querida Juçana imediatamente desconfiou dessa notícia, porque foi colocada on-line justamente no dia 1 de abril de 2001, e como nenhum outro site tocava nesse assunto, nem a Chess Base voltou a falar nisso, ficou claro que se tratava de uma brincadeira.
Além das mudanças oficiais nas regras, há muitas variações que permitem aumentar ou diminuir a complexidade do jogo, ou simplesmente excluir o fator “conhecimento teórico”. Fischer, por exemplo, propôs embaralhar as peças antes de iniciar a partida. Os Peões permanecem na posição normal, mas as outras peças são distribuídas randomicamente na primeira fila (mas mantendo simetria entre Brancas e Pretas). Capablanca sugeriu adicionar mais peças e casas, existem muitos modelos de Xadrez com 10x10 casas, 5x5 e até 12x12. Há também casos em que se modifica o movimento de uma peça, como no “Cavalo-alado” (os Cavalos combinam movimentos de Cavalo e Bispo).
Nada impede que seja criada uma variação em que o en-passant admita capturas com outras peças, mas uma coisa é certa: tal mudança provocaria alterações tão significativas que provavelmente poucos jogadores a adotariam. Não porque não seja uma boa mudança, mas porque aceita-la implicaria renunciar a quase tudo que já estudaram até então. Quando foi sugerido que os algarismos indo-arábicos substituíssem os algarismos romanos, a esmagadora maioria dos eruditos europeus recusou a idéia. A transição foi acontecendo lentamente, principalmente devido à necessidade do zero. No caso de modificar a regra do en-passant, seria preciso um ‘zero’ que justificasse a mudança, mesmo assim a aceitação seria muito difícil.
Se tiver interesse, você pode encontrar para download o regulamento completo da FIDE em inglês, português e espanhol. Visite os sites dos nossos amigos Sandro (Xadrez Genial) e Maximiliano (Super Ajedrez) para mais detalhes.

Um abraço!
Piu

 
.:: Sigma Society ::.
  Topo
Todos os direitos reservados