Oráculo


P
ergunta


-----Mensagem original-----
De: jack.brother <jack.brother@bol.com.br>
Para: hmjr@sti.com.br <hmjr@sti.com.br>
Data: Terça-feira, 20 de Junho de 2000 16:58
Assunto: nova dúvida...
Olá Melão!!
Tudo bem?!

Melão
Primeiramente quero lhe agradecer muito, muito mesmo por ter respondido minha dúvida. Gostaria de fazer alguns comentários a respeito de sua resposta e, ficaria novamente grato caso você atendesse à dúvida.
Primeiro: Melão, conforme você diz, a inteligência seria, ou é, composta de alguns elementos, dentre os quais você cita a criatividade ( que seria a mais importante ), a cultura, e pelo que lí em um comentárioa feito por você, a memória também seria um elemento constitutivo da inteligência. Pois bem, você tem mantido tal opinião, uma memória "boa" pode ser considerada como algo que pode ajudar a desenvolver e melhorar a inteligência?

Em breve pretendo colocar on-line o texto integral sobre o novo modelo de estrutura mental. Inicialmente ficará numa seção restrita, disponível aos membros e visitantes registrados. Esse artigo esclarece as questões que você levantou.

Melão, você expõe também, que a inteligência pode ser "melhorada" quando orientada, educada, conforme programas, atividades que estimulem tal desenvolvimento. O que gostaria de saber, se deste modo, pessoas com uma certa idade, eu p. ex., ( 22 ), há ainda possibilidade de desenvolvê-la através quem sabe do xadrez? Jogando xadrez, nesta fase, adiantaria de alguma forma, melhoraria o raciocínio, ou outra capacidade?

Algumas pessoas acreditam que música clássica pode melhorar o desempenho mental de crianças e adultos, mas até onde sei, as evidências não são suficientes para que se possa assegurar nada de concreto. Alguns dizem que o ganho no desempenho é imediato e transitório, não se prolongando por mais de 15 minutos; outros acham que o hábito de ouvir regularmente música clássica vai gradualmente produzindo pequenos incrementos, que só se fazem sentir depois de um tempo considerável (meses ou anos).
Com relação ao Xadrez, tem sido constatado que, em média, crianças que jogam Xadrez apresentam melhor desempenho escolar do que as que não jogam. Isso indica apenas que existe uma “seleção natural” e as que se interessam por Xadrez possuem certas habilidades cognitivas que também são úteis para as atividades acadêmicas. Outras pesquisas revelam algo mais sugestivo e que pode ser efetivamente encarado como uma evidência de desenvolvimento mental: crianças que não jogavam Xadrez e depois passam a jogar Xadrez com regularidade, melhoram sensivelmente o desempenho na escola e em atividades sociais diversas, com destaque para Matemática e Ciências Exatas. O papel desempenhado pelo Xadrez consiste em:

Cultivar o hábito de refletir antes de tomar decisões;
Coibir a ansiedade durante uma tarefa desgastante, evitando que a pressa prejudique a qualidade;
Estimular a capacidade de se concentrar;
Exercitar a memória, a capacidade de cálculo e o discernimento.

Pergunto isto Melão, pois tempos atrás, conversando com um amigo sobre inteligência, fiz a seguinte comparação: disse a ele que na minha opinião, a inteligência pode ser comparada, talvez de amneira
distante, com o tipo físico de uma pessoa. Explicando: assim como nascem pessoas naturalmente mais "fortes" que outras, algumas pessoas, naturalmente, nascem com uma certa vantagem, no caso, mais inteligentes que outras. Nesse sentido, queria dizer que: àquelas que nascem mais "fracas", o que caberia a elas: tentar superar tal deficiência, e de que maneira? umas praticam musculação, outras, de acordo com a causa, alimentando-se melhor para suprir uma falta de vitamina, procurando deste jeito, obter o resultad: um corpo saudável, mais "forte". Assim, disse a ele, seria com a inteligência.
Melão, fui feliz em tal comparação? Quero, novamente lhe agradecer pela atenção dada!
Abraços!

Sua analogia é muito boa! Do mesmo modo que alguns elementos da estrutura física podem mudar facilmente e outros não, o mesmo acontece com os elementos da estrutura mental. A altura, por exemplo, depois de estabilizada, só pode ser mudada artificialmente, por meio de cirurgias (e talvez tratamentos hormonais). A aparência geral (fisionomia, principalmente) também só pode ser mudada artificialmente, por intervenção cirúrgica ou por algum acidente (claro que também existe a degeneração natural produzida pelo tempo). Por outro lado, o peso pode oscilar bastante, caso a pessoa siga determinados regimes e em tais casos as variações são naturais (o próprio organismo produz as mudanças, sem necessidade de cirurgias ou similares). Com a inteligência acontece algo muito semelhante, ou seja: alguns elementos que a constituem podem variar naturalmente, por meio de exercícios ou similares, enquanto outros simplesmente não mudam.
Outro ponto importante de sua analogia é que algumas pessoas nascem com uma predisposição natural para alcançar melhor desempenho em atividades mentais, do mesmo modo que algumas nascem com certos talentos para atividades esportivas, artísticas ou mesmo com uma tendência natural para ser altas ou obesas. E da mesma forma que a alimentação e os exercícios regulares são necessários para que um atleta ou artista talentoso possa desenvolver suas habilidades naturais até seus limites, a inteligência também precisa de ambiente fértil para se desenvolver. Isso se aplica a todos os casos, desde pessoas portadoras de deficiências acentuadas até pessoas severamente talentosas. Os treinamentos, portanto, são imprescindíveis. Não sei dizer, com segurança, se tais técnicas “aumentam a inteligência” ou se “ajudam a tirar melhor proveito da inteligência que se possui”. Seja como for, para todos os efeitos práticos o resultado de tais exercícios mentais é positivo.

Um grande abraço!
Melão

 
.:: Sigma Society ::.
  Topo
Todos os direitos reservados