Mistérios Explicados

 

Em 15 de abril de 1769, na Academia de Ciências da França, um dos maiores cientistas de todos os tempos, Antoine Laurent Lavoisier, comentou, referindo-se aos relatos sobre meteoritos, que “pedras que caem do céu não existem” e prosseguiu explicando que isso não passa de “crendice, mito, ignorância humana”.

Havia registros de queda de meteoritos desde a Antiguidade, mas Lavoisier as classificou como lendas e todos os eruditos da época pensavam da mesma maneira que Lavoisier. Não os podemos recriminar, porque ainda que neste caso particular os cientistas sérios estivessem equivocados, o ponto de vista que defendiam é bem fundamentado e, em mais de 99% dos casos, a evolução científica depende desta mentalidade cética. Para sustentar alegações espetaculares é preciso apresentar evidências espetaculares. E pedras caindo do céu constituíam, para os paradigmas científicos da época, alegações espetaculares, enquanto os registros para apoiarem estas alegações nada tinham de espetacular; ao contrário, eram muito escassos e se baseavam em poucas testemunhas, nenhuma das quais com formação científica.

No ano da morte de Laivosier, em 1794, Chlandi afirmou, após várias pesquisas, que meteoritos eram rochas provenientes do espaço. Em 1801, Giuseppe Piazzi descobriu o asteróide Ceres, e a esta descoberta se seguiram as de vários outros asteróides. Além disso, a teoria de Laplace sobre a origem nebular do sistema solar sugeria a existência de vários objetos menores orbitando nos espaços intermediários entre as órbitas planetárias, e a grande quantidade de crateras observadas na Lua desde a época de Galileu e Kepler (1610 em diante) também sugeria colisões com corpos celestes não muito grandes. Enfim, combinando todos estes fatos, a aceitação de que meteoros são provenientes do espaço se torna mais plausível. Finalmente, em 1802, após observar uma intensa chuva de meteoros, muitos testemunharam a queda de um meteorito, e assim ficou confirmado que tais eventos de fato acontecem.

Muitas lendas foram criadas a partir de fatos verídicos mal interpretados, como são os casos do lobisomem, do cavalo inteligente, da levitação etc. Outras não passam de invenções, sem que haja nenhum fato real que as tenha inspirado. Nessa nova seção vamos tratar de alguns desses “mistérios”.

Na maioria das vezes, tentaremos escolher assuntos para os quais ainda não existe resposta; outras vezes apenas relataremos as explicações aceitas pela comunidade científica. Vamos evitar mistérios “triviais”, cuja explicação seja demasiado fácil, e tratar exclusivamente dos casos que mais chamaram a atenção da mídia e da Ciência. Também vamos evitar “mistérios” que não tenham sido minimamente documentados, por ser demasiado óbvio que não passam de invenções folclóricas.

Quando houver uma explicação conhecida, esta será apresentada e, se necessário, discutida. Quando não houver uma explicação (ou se houver mas eu não conhecer), então tentarei dar uma interpretação tão bem fundamentada quanto me for possível.

O índice preliminar (sujeito a alterações) dos mistérios que serão abordados, é o seguinte:

 

1. O sábio cavalo Hans
2. Monstros e seres sobrenaturais
3. Chuva de comida, de carne, de peixes
4. OVNIs
5. Premonição
6. Telepatia (especial Ganzfeld)
7. Astrologia
8. Psicografia
9. Aparições (fantasmas)
10. Experiência pós-morte
11. Milagres e curas sobrenaturais
12. Bruxaria
13. Vida fora da matéria
14. Outros mundos
15. Outras dimensões
16. Alienígenas
17. Levitação
18. Palingenesia (reencarnação)
19. Forças sobrenaturais
20. A Bíblia e acontecimentos fantásticos
21. Regressões mentais
22. Quadros de crianças que choram
23. Código na Bíblia
24. Círculos e desenhos nas plantações
25. Relatos bíblicos (Criação, Dilúvio, Moisés, Josué, Davi e Golias etc.)
26. Deus


O primeiro capítulo será aberto ao público. Os demais só serão disponibilizados aos membros, assinantes e visitantes registrados.

Esperamos que todos desfrutem essa nova seção.

 

 
.:: Sigma Society ::.
  Topo
Todos os direitos reservados